Especialista destaca as principais causas e formas de tratamento

Ver o animal de estimação se coçando é muito normal, isso é algo que faz parte da rotina deles. Porém, quando eles não fazem quase nada além disso, pode ser um sinal de que algo está errado. Em alguns casos, a coceira pode ser o sintoma de alguma doença. Nesse momento, é necessário lembrar sobre a importância de visitar o veterinário para avaliar o problema.

A médica veterinária Juliana Emerick, sócia da CenterVet Hospital Veterinário e Clínica de Especialidades Médicas, em Contagem, explica que primeiramente não é necessário se alarmar em qualquer caso. “Assim como nos humanos, as coceiras rápidas são normais também nos pets. Às vezes, pode, até mesmo, ser resultado de uma mania que eles desenvolvem. Mas, é importante salientar que a visita periódica ao veterinário pode evitar que o problema se desenvolva caso seja consequência de outros transtornos. A partir do momento que eles começam a se coçar demais, resultando em ferimentos e perda de pelo, pode ser algo mais sério”.

Principais fatores

A especialista indica que para cada causa existe um tratamento. Veja as situações mais comuns:

  • Parasitas: Um dos principais causadores da coceira em animais de estimação são as temidas pulgas e carrapatos. Esses parasitas, além de causar muito incômodo nos pets, podem ser transmissores de outras doenças. A médica destaca que o tratamento adequado é o principal para evitar consequências mais graves. “Geralmente são utilizados medicamentos e produtos de limpeza específicos para afastar esses parasitas. É fundamental também manter a manutenção do medicamento sempre em dia”.
  • Doenças de pele: Outros fatores relacionados à coceira podem ser as sarnas, infecções de pele e a seborreia. “Em todos os casos, o acompanhamento com dermatologista é essencial para encontrar o melhor tratamento”, destacou a veterinária.
  • Alergias: Em alguns casos, um simples alimento, planta ou produto de limpeza podem ser extremamente prejudiciais para a saúde dos pets. “Nesses casos, as alergias são muito comuns. Portanto, analisar o que faz bem ao animal também fundamental para evitar transtornos”, indicou a especialista.