Especialista explica porque o método é importante para a qualidade de vida dos animais de estimação.

Para a maioria das pessoas, ter um animal de estimação é como ter um filho. Em muitas vezes, as preocupações e cuidados se igualam a criação de uma criança. Por isso, é comum surgir dúvidas sobre alguns métodos que fazem bem aos pets. Entre eles, o mais comum são os questionamentos acerca da castração. Afinal, ela realmente faz bem para os bichinhos?

O médico veterinário, William Delecrodi Gomes, diretor do hospital veterinário Center Vet, em Contagem, ressalta que sim, a castração, na maioria das vezes, é o melhor método para melhorar a qualidade de vida dos gatos e cachorros. “Castrar os animais é extremamente importante, pois pode prevenir diversas doenças, além de evitar acidentes comuns na época fértil”.

Outro ponto positivo, é que, por serem animais que vivem dentro de casa, a castração evita que eles fiquem irritados. “Animais não castrados tem a necessidade de saírem para marcar território, procurar parceiros. Nesse quesito, ficar muito tempo dentro de casa pode deixá-los nervosos”, esclareceu o veterinário.

A castração oferece algum risco?

Ao contrário do que muita gente pensa, o especialista garante que a castração é extremamente segura para todos os animais. “Ela é feita por meio de cirurgia, o que pode preocupar um pouco os donos. Mas, na realidade, quando seguidos todos os procedimentos adequados durante e após o procedimento, os bichinhos não correm risco. Por esse motivo, é muito importante pesquisar também sobre o profissional que irá realizar o tratamento. Sempre se consulte em locais de confiança”, alertou William.

Principais benefícios

Além de evitar que o animal fique estressado e dê muitas crias que o dono pode não ter condições de cuidar, um dos principais benefícios para os pets está relacionado à prevenção de diversas doenças. “No caso de cães e gatos, por exemplo, nas fêmeas, pode-se evitar infecções no útero e tumores no ovário e mamas, já para os machos, previne-se contra o câncer de próstata”, garantiu Gomes.